sábado, 17 de setembro de 2011

Divisa

                                                             
           

Antes de dividir águas 
Unificar os solos
Diminuir o vão
Transgredir passos
A cada passo
Transpor abismos com pés alados
E depois: Ocupar  o novo espaço
Habitar, fazer dele seu lar
Descansar as asas e pisar descalço
No que sempre foi meu
No que sempre foi nosso
é nosso onde o olhar alcança
é nosso onde o sonho aterriza
Sempre foi nosso o que a gente cria
e se o que gente cria é a mais pura
Verdade, então é toda nossa
                                                                                                        A realidade

Nenhum comentário: