quarta-feira, 30 de junho de 2010

estética do possuir


Os objetos tem vida própria
vão se arrumando 
se desarrumando de um jeito só seu

se assemelham às pessoas
podem estar podres, dilacerados por dentro 
e por fora permanecerem intactos
empoeiram
mesmo com as janelas fechadas

dentre todos, talvez os meus preferidos sejam os livros
saber que tenho Ulisses me esperando
na estante bastam algumas páginas
pra não ler jamais
ter um homem adormecido
me esperando
entre lenços e maças
já é por si uma história
épica sem
fim

3 comentários:

A Menina Sem Século disse...

adoro quando vc volta por aqui.
acaso bom o sue post com coisas que estao por auqi e ainda nao te contei.
adoro te ter tb nesse espaço.

muack

Dani Barbosa disse...

desculpa mas eu li e pensei no meu comentário, que seria:

adoro quando vc volta por aqui!

aí vim escrever e me deparei com isso!

...

amo vcs!

Hildebranda disse...

é queridas, esse lugar é nosso. existe e não existe, mas é um lugar que a gente se encontra