segunda-feira, 31 de maio de 2010

Não me peça coerência




tenho tido sonhos intranquilos
sou sensível as pequenas coisas
sei reconhecer um olhar sincero
mas percebo que estou cada vez mais longe da intuição
da natureza
dos outros homens e mulheres
de mim mesma
sou de fato um serzinho da cidade

tem coisas que acho que já resolvi, mas meus sonhos e devaneios a meio-sono juram que não. meu inconsciente gosta desse estado de quase dormindo, quase acordado e vem me sussurrar segredos que eu jurava já ter esquecido. tenho tido sonhos intranquilos. eu simplesmente não dou conta. de tudo, da vida. minha família, meus amigos, meus irmãos, meu pai, minha mãe. eu assumo, eu simplesmente não dou conta. meus braços não abraçam meu mundo inteiro.

"quando a gente não fala sobre uma coisa é como se ela não existisse. a palavra cria e mata paralelamente", alguém disse. já eu ando pensando ao contrário. quando a gente não fala sobre uma coisa é como se ela existisse em dobro. essas histórias vão se multiplicando nas cabeças, e a imaginação pode ser salvação mas também armadilha. 
materializar fantasias
é isso que um cérebro e um coração devem fazem juntos
mas eles também criam um monte de fastamas
que agora circundam a minha casa

tinha alguma outra coisa que queria escrever e agora não lembro
sem pretensão penso coisas que traduzidas em letras tomam status de verdade
fico com medo
tenho medo das palavras, por isso me livro delas


2 comentários:

Dani Barbosa disse...

nossa! como é bom saber que não sou só eu!

love u

Hildebranda disse...

começei isso com a frase " tenho tido sonhos intranquilos" e pensava isso parece algo, e não lembrava o que nem da onde, só agora percebi que vem do título do cd do otto, andou circulando pela minha rádiola. maravilhoso alias.