quinta-feira, 31 de julho de 2008

Antes do Começo

Grafiti de Marcella França

Só posso escrever de mim mesma, até quando falo dos outros, falo de mim mesma. Entre essas palavras existem mil histórias, umas eu me orgulho, outras tenho vergonha de contar. Então conto na poesia. Desabafo. A escrita me alivia. Não sei porque assim não me dá vergonha. Confesso tudo pras folhas, pros papeis. A escrita me dá uma coisa que quero ter sempre na vida. A escrita me dá coragem. Coragem minha ídala, minha amiga.
Não sei se todas as pessoas são como eu, eu crio histórias pra tudo que leio, e pras músicas que escuto. Sempre imagino “ele escreveu pra ela, naquele dia que eles brigaram...”, ou então, “essa deve ser pra sua mãe, que ele sente muita falta” imagino, fantasio tudo que levou aquela pessoa a escrever. Dou destinatários.
Espero que essas palavras, que esse mundinho tão meu, , possa refletir outras pessoas. Mas mesmo assim, peço-lhes muito carinho e muito cuidado, pois estou lhes revelando o meu mais profundo segredo.